Pesquisa aponta: homens empreendedores atuam mais em serviços; mulheres, no comércio

Proporção de homens e mulheres que decidem empreender é quase igual

Por Redação | Foto Shutterstock

A pesquisa indica, contudo, que não há predominância de gênero no perfil dos jovens empreendedores. A proporção de homens (50,1%) e mulheres (49,9%) que decidem empreender é praticamente igual. No entanto, na hora de escolher o ramo de atuação, as diferenças entre os gêneros aparecem. Enquanto os homens dão prioridade a atividades como tecnologia, vendas e assistência técnica de eletroeletrônicos, oficina mecânica e distribuição de água e gás, as mulheres investem mais em cuidados com a beleza, vestuário, ­bombonnière, confeitaria, artesanato e costura. Segundo aponta o levantamento, 53,9% dos negócios estão no comércio (aumentando para 58,3% entre as mulheres), enquanto 46,1% encaixam-se na prestação de serviços (aumentando para 50,5% entre os homens).

INFORMALIDADE

A maioria absoluta (95,3%) dos jovens empreendedores tem microempresas, pois atuam com até nove funcionários e mais de metade (55,7%) fatura até R$ 60 mil por ano. Quanto ao regime de tributação adotado pelos jovens empreendedores, a pesquisa revela que 53,5% são optantes do Simples, mas um número expressivo de 26,8% dos entrevistados admite atuar na informalidade, sobretudo as mulheres (30,8%) e os que contam com, no máximo, o Ensino Médio (32,9%).

Revista Geografia | Ed. 67